You are here: Home Documentos Equipamento Espectrômetro de Infravermelho , modelo Frontier MIR+SP10 STD da Perkin Elmer

Equipamento Espectrômetro de Infravermelho , modelo Frontier MIR+SP10 STD da Perkin Elmer

Equipamento: Equipamento Espectrômetro de Infravermelho , modelo Frontier MIR+SP10 STD da Perkin Elmer

  1. Introdução


A fim de dar evitar a interrupção dos projetos de pesquisa em andamento na área de Biomateriais que é uma das principais linhas de desenvolvimento do projeto CEPID (CeRTEV Proc. 2013/07793-6), solicitou-se à FAPESP, a aquisição de um equipamento "espectrômetro de infravermelho (FTIR)" com acessórios específicos para efetuar a analise e sequenciamento das reações superficiais na identificação de materiais candidatos a biologicamente ativos (bioativos). Este equipamento irá substituir um FTIR alocado no LAMaV que esta em operação por mais de 20 anos e se apresenta em final de vida útil. Devido a ser muito antigo foi DESCONTINUADO e não existem mais peças disponíveis para seu reparo no mercado.  

Os acessórios disponibilizados neste novo equipamento permitirão a ampliação das informações coletadas e assim um direcionamento com maior efetividade no desenvolvimento e aplicação dos Biomateriais.

Estes assessórios irão permitir ampliar a faixa espectroscópica principalmente no infravermelho próximo (Near-IR), mas também haverá em menor proporção a coleta de dados no longínquo (Far-IR) . O FTIR em operação faz o escaneamento na faixa de 1,4 a 25μm enquanto e o que foi concedido pela FAPESP de 0,2 a 30μm. Há também um ganho com a aquisição da Esfera de Integração que possibilita capturar os espectros reflexão na superfície das amostras.

Esta linha de pesquisa em Biomateriais tem alcançado grande destaque dentro   do projeto do CeRTEV durante estes anos de apoio. E já proporcionou um numero grande de publicações (< 30), patentes (< 7), Licenciamentos (4) e solicitação de registro de produto na ANVISA. Com forte interação com diversos grupos ligados a saúde em varias universidades, por exemplo, FORP (USP Ribeirão Preto), UNESP (Medicina Botucatu), UNIFESP Santos, UEM (Estadual Maringá), UFABC, UEPG (Estadual de Ponta Grossa), UNESP (Odontologia Araraquara), USP (Medicina São Paulo) , FMRPUSP (Medicina Ribeirão Preto), etc.

Para efeito de evidenciar a importância desta área devo citar, um exemplo, do implante ocular criado com o nosso material e com design mundialmente inovador que enorme teve repercussão social. A ponto de uma empresa submeter a registro de produto na ANVISA. Este implante foi amplamente divulgado em televisões, entrevistas a rádios e também na imprensa cientifica e jornalística. Por exemplo Jornal Nacional (TV Globo). 

Link: http://g1.globo.com/jornal-nacional/edicoes/2018/07/19.html


Portanto, o equipamento solicitado supre as necessidades para dar continuidade a estes trabalhos de desenvolvimento e reforça as interações com os outros grupos de pesquisa supramencionados.   



Pessoal qualificado para manuseio do equipamento

Para manuseio deste equipamento haverá pessoal especializado responsável pela operação que serão treinados pelo prof. OSCAR PEITL com larga experiência nesta técnica que também fara a supervisão do treinamento dos usuários. Este equipamento poderá ser utilizado por docentes, funcionários, alunos de graduação e pós-graduação, bolsistas de iniciação científica (desde que acompanhados dos respectivos orientadores) e pesquisadores da UFSCar ou de outras instituições de ensino e pesquisa.  Os serviços solicitados podem ser efetuados por nosso pessoal técnico, ou pelo próprio usuário, que recebe um treinamento específico para operar o equipamento. Na solicitação de serviços, o usuário especifica se precisa de um operador do equipamento multiusuário (EMU) ou se já é credenciado para operação independente, e efetua a reserva de horário concordando com o pré-orçamento que lhe é apresentado. Foram constituídas duas comissões para administrar o equipamento: Uma comissão formada por gestores do projeto EMU, responsável pela gerência do equipamento (financeira e administrativa). Esta comissão será responsável pela indicação de membros para a formação da comissão de usuários. As comissões serão constituídas pelos seguintes professores:

Comissão de gestores do EMU:

  • Prof. Dr. Edgar Dutra Zanotto (DEMa-UFSCar, coordenador do projeto)

  • Prof. Dr. Oscar Peitl (DEMa-UFSCar)

  • Prof. Dr. Murilo Crovace

  • Profa. Dra. Ana Candida Martins Rodrigues (DEMa-UFSCar)




Comissão de usuários formados por:

  • Profa. Dr. Oscar Peitl Filho (DEMa-UFSCar)

  • Profa. Dr. Edgar Dutra Zanotto (DEMa-UFSCar)

  • Prof. Dra. Juliana Daguano (UFABC)

  • Prof. Dr. Marcello Rubens Barsi Andreeta (DEMa-UFSCar)

  • Técnico responsável: José Rodrigues da Silva, técnico de nível superior (DEMa - UFSCar).


Na eventualidade de algum membro da comissão necessitar se ausentar por períodos longos, ou renunciar a sua posição, cabe a comissão de gestores indicar outro nome substituí-lo. 


  1. Recursos e Instalações para o equipamento

O equipamento será alocado no Laboratório de Materiais Vítreos (LAMaV) do Departamento de Engenharia de Materiais da UFSCar (sede do CEPID-FAPESP). A manutenção do equipamento, após o término da garantia de 12 meses dada pelo fabricante, será realizada por meio de reserva técnica do Projeto CEPID/FAPESP (proc. 2013/07793-6), cujo coordenador é o Prof. Dr. Edgar Dutra Zanotto e com recursos de taxa de utilização (a ser definida pelo conselho gestor) e também, se necessário for, por meio do projeto do LAMaV junto a FAI/ UFSCar que dispõe de alínea para manutenção e reparos .



Serviços disponíveis

Os pedidos para utilização do equipamento deverão ser apresentados em formulário próprio, que ficará disponível no site desta instituição, com antecedência mínima de 15 dias úteis, em relação à data pretendida. O solicitante deverá ser o responsável pela pesquisa. Junto com o requerimento de uso também será necessário enviar uma cópia resumida do projeto de pesquisa também em formulário próprio disponível no site da Instituição. Dessa maneira, o solicitante se responsabiliza por todo e qualquer dano que venha a ser produzido durante o seu uso. Além disso, a Comissão de Usuários poderá negar a utilização do equipamento se entender que o projeto proposto poderá causar danos ao aparelho decorrente da má indicação do uso ou que a caracterização desejada não pode ser obtida pelo EMU.

O agendamento para utilização do equipamento será realizado por meio da assistente administrativa. O horário para agendamento e utilização do equipamento será das 8:00 as 17:30. Quando a demanda exceder os horários comerciais, novos horários em finais de semana e feriados poderão ser disponibilizados para utilização (mediante aprovação da comissão de usuários), desde que o técnico responsável esteja presente e/ou o usuário tenha treinamento prévio. Durante a vigência do projeto multiusuário a prioridade para utilização será para os projetos que compõem o Projeto CEPID-FAPESP (proc. 2013/07793-6). Os custos com material de consumo serão de responsabilidade do solicitante.

Os resíduos oriundos das atividades laboratoriais do presente projeto serão recolhidos, segundo protocolo estabelecido pela Comissão Local de Resíduos da Universidade Federal de São Carlos, que serão encaminhados para tratamento específico.

  1. Recursos para manutenção do equipamento

O Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia, Departamento de Engenharia de Materiais e Laboratório de Materiais Vítreos (UFSCar) são corresponsáveis, no período mínimo de 07 anos, por recursos materiais e humanos para a manutenção e operação do equipamento. No período posterior, esta será de responsabilidade dos usuários, por meio de rateio dos custos relativos ao conserto e manutenção. Para isso, sistemas de cobrança de taxas de acordo com o número de horas utilizadas serão pré-definidas pela comissão de usuários, visando viabilizar a manutenção do equipamento. 


  1. Utilização do Equipamento

Todos os interessados em desenvolver projetos de pesquisa no EMU devem cadastrar seus projetos em formulário próprio, disponível no endereço eletrônico: http://www.certev.ufscar.br/documentos/multi-user-equipment-form.

Os usuários do EMU serão credenciados para utilização dos equipamentos, com a comprovação da necessidade e do tipo de serviço, através da apresentação do projeto de pesquisa em andamento, financiado por órgãos públicos, quando então são cadastrados como usuários com preço subsidiado.
O subsídio ao custo de utilização dos equipamentos quando se trata de projetos de pesquisa é possível através da atuação constante dos pesquisadores do CEPID/FAPESP, em submeter projetos individuais de reparos específicos dos equipamentos e do apoio parcial do DEMa-UFSCar e do PPG-CEM-UFSCar, que reconhecem a importância da qualidade e regularidade do serviço dos equipamentos multiusuários aos seus alunos, pesquisadores e professores.

Os demais usuários, não associados a uma atividade de pesquisa, também serão atendidos, porém através do pagamento da taxa sem subsídios o que inclui o preço total de manutenção dos equipamentos.

A taxa para utilização dos equipamentos é cobrada para todos os usuários treinados e cadastrados, sejam eles internos ou externos ao DEMa e à UFSCar, todos seguindo a mesma política de preços. Portanto, a viabilização da manutenção do equipamento EMU deverá ser feita da mesma maneira que outros equipamentos instalados no DEMa-UFSCar, ou seja, parte pela cobrança da taxa de utilização, e parte pelo apoio institucional que recebemos do CCET-DEMa-UFSCar e do PPG-CEM-UFSCar.


  1. Gestão e Compartilhamento

As normas aplicam-se a todas as pessoas (docentes, funcionários, discentes da graduação, pós-graduação, bolsistas de iniciação científica e pesquisadores e pessoal externo a universidade) que utilizarão este equipamento e necessitem de acesso ou permanência autorizados nas dependências em que o mesmo esteja instalado.

Caso o usuário necessite de poucas análises , serão executadas por um membro da equipe que recebeu os treinamento necessário.

 

Nas situações em que usuário necessite executar grande números de análises. Ele deverá ter conhecimento e obedecer às normas de segurança constantes do manual de segurança que estará disponível no site desta instituição. Antes da utilização do equipamento o usuário deverá fazer um treinamento com o Prof Oscar Peitl e será avaliada sua conduta nas primeiras análises.  E somente será liberada a utilização do equipamento ao usuário após respeitadas todos os procedimentos determinados pelo professor responsável.   É proibida sua utilização sem a autorização prévia da Comissão de Usuários. É dever dos usuários adotar todas as condutas de boas práticas laboratoriais e éticas.